As chuvas extremas do Rio são a nova normalidade do clima?

A tempestade que caiu sobre o Rio de Janeiro nos dois últimos dias matou pelo menos 10 pessoas e fez um estrago ainda não calculado. O prefeito reconheceu que deu tudo errado, que as equipes ficaram presas nos engarrafamentos e que alarmes em morros não funcionaram. Segundo o Cemaden (Centro de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais), a chuva acumulada em 24 horas passou de 300 milímetros, quase o triplo da média esperada para abril. O Climatempo calculou que a chuva acumulada em quatro horas foi mais de uma vez e meia o esperado para o mês inteiro. Esta foi a terceira tempestade fora do normal que caiu sobre a cidade em 2019. Segundo os meteorologistas, o Atlântico nas costas brasileiras está mais quente do que o seria o normal. Daí resultam as chuvas mortais que caíram no Rio, em São Paulo e no Piauí, além da tempestade tropical Iba do mês passado. Para o Observatório do Clima, “todos esses extremos climáticos, cada vez mais graves e frequentes, mostram que o clima do Brasil mudou e atingiu um novo normal, em que o que era raro ficou comum.”

Passa já da hora dos ministros do meio ambiente, Ricardo Salles, e das relações exteriores, Ernesto Araújo, deixarem de lado suas posições ideológicas, pararem de dizer por aí que a mudança climática é uma discussão acadêmica ou uma conspiração esquerdista, e passarem a trabalhar com os dados da realidade. Salles precisa rapidamente apresentar um plano concreto de adaptação para as áreas do país mais vulneráveis às mudanças climáticas. Araújo precisa rapidamente mostrar como vai conduzir o aprofundamento das metas brasileiras para o Acordo de Paris.

Leia completo em Clima Info.

Temporais fazem parte de uma nova realidade, diz climatologista

A redução de investimentos ocorreu ao mesmo tempo em que tempestades poderosas se tornaram mais frequentes. A desta segunda-feira (8) foi a maior dos últimos 22 anos.

No auge do temporal no Rio, o prefeito Marcelo Crivella, numa entrevista por telefone, considerou a situação fora do normal: “Essa é uma chuva completamente atípica. A gente sempre tem previsão de chuva forte, mas não assim, com esse dobro de intensidade que é a média do mês de abril inteiro”.

Outras duas tempestades também causaram estragos e mortes na cidade apenas em 2019. Mas este volume de chuva está longe de ser um fenômeno isolado. O climatologista Carlos Nobre afirma que esses temporais fazem parte de uma nova realidade: “ O oceano todo está mais quente, o planeta todo está mais quente. Por exemplo, São Paulo, 3°C, 3,5°C mais quente do que antes, do que 100 anos atrás. O Rio de Janeiro, que está próximo do oceano, esse efeito é menor, 1,5°C, na zona norte do Rio, 2°C. Mas, de qualquer modo, são 1,5°C, 2°C mais quente, então, quando a quando a frente fria está chegando, ela encontra uma bolha de ar mais quente e úmida do que as periferias, as regiões que não são urbanizadas”.

Leia completo em G1

Motivo de caos no Rio, chuva anormal para outono é 'retrato de clima mais hostil'

O caos que se espalhou com as fortes chuvas do Rio de Janeiro na segunda-feira à noite, com ruas virando rios e pelo menos três mortes, pode estar associado ao temporal que matou 7 pessoas na cidade em fevereiro, aos alagamentos que mataram mais de 30 pessoas em São Paulo em março e a outros eventos climáticos extremos que têm ocorrido com frequência cada vez maior no mundo - como os incêndios na Califórnia, os invernos rigorosos no hemisfério norte ou a devastação causada pelo ciclone Idai no Sul da África. Segundo o ambientalista Carlos Rittl, secretário executivo do Observatório do Clima, esses eventos extremos "estão se tornando mais frequentes e mais intensos", deixando as cidades - e seus moradores - cada vez mais vulneráveis.

Leia completo em UOL.

Humanidade consome recursos da Terra a taxas insustentáveis, alerta agência da ONU

George Monbiot, correspondente do jornal britânico The Guardian e conhecido por seu ativismo ambiental e político, fez um apelo surpreendente para que as pessoas no Reino Unido reduzissem o uso de carros em 90% ao longo da próxima década.

Muitos indivíduos podem se mostrar avessos a essa ideia, mas talvez ela soe um pouco menos bizarra à luz de um novo relatório da ONU sobre a taxa com que estamos abocanhando os recursos do planeta Terra.

A indústria global do automóvel necessita de quantidades enormes de metais vindos da mineração, assim como de outros recursos naturais, como a borracha. E a transição para os veículos elétricos, embora necessária para conter a poluição do ar e as emissões de gases do efeito estufa, também tem consequências adversas para a natureza — a mineração em larga escala do lítio para as baterias usadas nos veículos elétricos poderia provocar novas dores de cabeça ambientais.

O Panorama Global sobre Recursos 2019, relatório da ONU Meio Ambiente preparado pelo Painel Internacional sobre Recursos, examina as tendências em recursos naturais e nos seus padrões correspondentes de consumo desde os anos 1970. Entre as principais descobertas da pesquisa, estão as seguintes conclusões:

  • A extração e o processamento de materiais, combustíveis e alimentos contribuem com metade do total de emissões globais de gases do efeito estufa e com mais de 90% da perda da biodiversidade e do estresse hídrico;
  • A extração de recursos mais do que triplicou desde 1970, incluindo um aumento de cinco vezes no uso de minerais não metálicos e um aumento de 45% no uso de combustíveis fósseis;
  • Até 2060, o uso global de materiais poderia dobrar para 190 bilhões de toneladas (a partir dos atuais 92 bilhões), enquanto as emissões de gases do efeito estufa poderiam aumentar 43%.

Além dos transportes, outro grande consumidor de recursos é o setor de construção, que cresce rapidamente.

O cimento, o insumo fundamental para a produção de concreto, o material de construção mais usado no mundo, é uma grande fonte de gases do efeito estufa e responde por algo em torno de 8% das emissões de dióxido de carbono, de acordo com um relatório recente da Chatham House.

Tanto a produção de concreto quanto a de argila (para tijolos) incluem processos que consomem muita energia para a extração de matéria-prima, além de etapas de transporte e uso de combustíveis para o aquecimento de fornos.

A areia de qualidade para uso na construção está sendo extraída atualmente a taxas insustentáveis.

“A extração de materiais é um dos principais responsáveis pelas mudanças climáticas e perda da biodiversidade — um desafio que só vai piorar a não ser que o mundo empreenda urgentemente uma reforma sistemática do uso de recursos”, afirma o especialista em mudanças climáticas da ONU Meio Ambiente, Niklas Hagelberg. “Tal reforma é tão necessária quanto possível.”

Leia completo em Nações Unidas

More Articles...

  1. A diferença entre os impactos de um aquecimento de 1,5˚C ou 2˚C no planeta
  2. Emissões de carbono quebram o recorde em um retrocesso global devastador
  3. Demanda por energia dispara em 2018 e emissões batem recorde
  4. Situação do clima em 2018 mostrou aumento dos efeitos da mudança climática, diz relatório
  5. Reflexos do aquecimento global para a economia brasileira
  6. Falta de acesso à água afeta bilhões e provoca aumento de conflitos no mundo, diz relatório da ONU
  7. Terceiro Relatório de Atualização Bienal do Brasil
  8. Convite: Lançamento do Livro – Brasil: um futuro sustentável
  9. Artigo: A felicidade traz prosperidade
  10. Rio de Janeiro registra as temperaturas médias mais altas em 97 anos
  11. Biodiversidade é uma potência ainda subaproveitada no país.
  12. ‘Estresse térmico’ deixa pessoas mais nervosas nos dias quentes
  13. Groenlândia está derretendo mais rápido do que esperávamos e não há muito mais o que fazer
  14. Verão pode causar 'estresse térmico' no corpo
  15. Gelo da Antártica está derretendo seis vezes mais rápido do que há 40 anos, diz estudo
  16. 'A proteção do meio ambiente não pertence a nenhuma corrente política ou ideológica'
  17. Aquecimento dos oceanos ocorre em ritmo mais rápido que o esperado
  18. Verão tem temperaturas mais altas que as do ano passado; tendência é esquentar
  19. Agro holandês é POP
  20. Animais silvestres em perigo: projeto de lei libera caça no Brasil, também em unidades de conservação. E muito mais!
  21. Chuvas torrenciais e muito calor: o que determina o clima das grandes cidades?
  22. Verão de 2019 vai ser escaldante e já sabemos qual mês será o pior
  23. Ministério do Meio Ambiente oferece 8 cursos na área socioambiental
  24. Agenda do Evento de Lançamento do Relatório "Potência Ambiental da Biodiversidade: um caminho inovador para o Brasil"
  25. COP 24 aprova 'livro de regras' do Acordo de Paris
  26. Relatório encomendado pela própria UNFCCC sobre o aquecimento
  27. Secretário-geral da ONU alerta que planeta não pode se permitir fracassar na COP 24
  28. Brasil perderá se sair do acordo climático, diz ex-negociador dos EUA
  29. 1. SBPC se manifesta contra a saída do Brasil do Acordo de Paris
  30. A COP24 em Katowice terminou neste domingo, por volta das 00:30h.
  31. Artigo: Capitalismo climático Para a obtenção do lucro, é fundamental que se limite o aumento de temperatura da Terra
  32. Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas e a Fundação Grupo Boticário lançam Sumário para Tomadores de Decisão sobre biodiversidade e clima na COP24
  33. Relatório Especial “Potência Ambiental da Biodiversidade: um caminho inovador para o Brasil”
  34. 1º Fórum Brasileiro de Transição Energética
  35. Evento de Lançamento do Sumário para Tomadores de Decisão (STD) do PBMC e BPBES – Espaço Brasil na COP-24
  36. COP24 "Eles chegaram a Katowice de bicicleta"
  37. Como anda a COP14 da Biodiversidade?
  38. Moving for Climate NOW
  39. 2018 UN Biodiversity Conference
  40. Primeira chuva no Atacama em 500 anos destrói vários micróbios
  41. Temperatura do planeta poderá aumentar 3,2 graus Celsius, muito além da meta de 1,5
  42. Biodiversidade é 'galinha de ovos de ouro' desperdiçada no Brasil, mostra relatório
  43. Impacto das mudanças climáticas intensificam incêndios na Califórnia
  44. Biodiversidade não é problema, é solução
  45. BRASIL pode ser líder em desenvolvimento sustentável, dizem cientistas
  46. Aquecimento climático em São Paulo já é o dobro da meta global
  47. Não é só pelo 1,5ºC
  48. Chamada pública "Boas práticas de sustentabilidade A3P"
  49. Ministro divulga nota sobre fusão com o MAPA
  50. Fome: aquecimento aumenta o risco de uma nova grande crise global
  51. Populações de animais caíram 60% em 44 anos, alerta WWF
  52. Anúncio da fusão dos ministérios da Agricultura e Meio Ambiente preocupa a Coalizão Brasil
  53. Remote Hawaiian Island Wiped Off The Map
  54. Dados do Inpe sugerem aceleração da área desmatada na Amazônia
  55. O que precisa ser feito em cada setor para limitar o aquecimento global em 1,5oC?
  56. 1,5°C a mais até o fim do século - otimismo possível?
  57. O Brasil e a biodiversidade
  58. Aquecimento global está acima da meta, diz IPCC
  59. Análise: Relatório do IPCC força aquecimento global sobre agenda dos candidatos a presidente
  60. ONU dá último alerta para evitar a catástrofe climática
  61. Educação ambiental abre 16 mil vagas
  62. 37 things you need to know about 1.5C global warming
  63. We have 12 years to limit climate change catastrophe, warns UN
  64. Leaked US critique of climate report sets stage for political showdown in Korea
  65. Aquecimento global pode modificar eixo de rotação da Terra, aponta estudo da Nasa.
  66. Mobilidade elétrica na cidade: Veículos Coletivos e de Carga
  67. Aquecimento eleva risco de desertificação no Nordeste
  68. DERRETIMENTO DO PERMAFROST ESGOTA O ORÇAMENTO DE CARBONO ANTES DO PREVISTO
  69. Ações para reduzir emissões na agricultura ainda não são suficientes Este trecho é parte de conteúdo que pode ser compartilhado utilizando o link https://www.valor.com.br/agro/5852317/acoes-para-reduzir-emissoes-na-agricultura-ainda-nao-sao-suficientes o
  70. IV ENPJA ocorre em setembro
  71. Abordagens metodológicas para análise de Vulnerabilidades à Mudanças Climáticas
  72. A Cidade Universitária e o Consumo de Energia - Hoje
  73. Marcha pelo clima reúne mais de 30 mil pessoas nos EUA.
  74. Mobilização global ‘Una-se pelo clima’ realiza ações em mais de 90 países
  75. Navio bate em ponte e aeroporto fica isolado na passagem do Tufão Jebi no Japão
  76. NASA Discovers Bubbling Lakes In The Remote Arctic - A Sign Of Global Warming
  77. Elevação das concentrações de carbono na atmosfera ameaça a nutrição humana
  78. O aquecimento global já é realidade. E agora?
  79. Merkel diz ser contra novas metas de redução de emissão de gases na Europa
  80. XIII UFRJ AMBIENTÁVEL - Semana Acadêmica da Engenharia Ambiental
  81. A Professora e cientista Suzana Kahn participou do evento "Foco nos setores de Energia Elétrica e Petróleo e Gás", promovido pela Siemens.
  82. A Cidade Universitária e o Consumo de Energia
  83. Kofi Annan, Who Redefined the U.N., Dies at 80
  84. NASA releases time-lapse of the disappearing Arctic polar ice cap
  85. Árvores revelam evolução da poluição ambiental em São Paulo
  86. Presidente eleito terá de retomar trilha da responsabilidade climática e enfrentar retrocesso
  87. Heat: the next big inequality issue
  88. Mudança climática está matando os cedros do Líbano
  89. Céticos do clima devem pedido de desculpas a quem acreditou neles
  90. Uma fornalha chamada Terra
  91. Coletivo urbano está à beira do colapso
  92. Darwinismo tecnológico
  93. O que é o fenômeno 'Terra estufa' e por que estamos caminhando para ele, segundo novo estudo
  94. Vento pode ser segunda principal fonte de energia elétrica do país em 2019
  95. Mudanças climáticas poderão extinguir 10% das espécies de anfíbios da Mata Atlântica
  96. O aquecimento global está ganhando
  97. Capitalism Killed Our Climate Momentum, Not “Human Nature”
  98. Eólicas serão 2.ª fonte de energia do País em 2019
  99. Climate Change Needs Behavior Change
  100. Com orçamento ameaçado, Conselho Superior da Capes lista as consequências para 2019

Unicast