NASA, NOAA Analyses Reveal 2019 Second Warmest Year on Record

Divulgado pela NASA e pela NOAA hoje que o segundo ano mais quente do registro histórico, disponível desde 1880, é o de 2019. O campeão ainda é 2016, tendo os últimos cinco anos sido os cinco mais quentes.

Além disso, a década que se encerrou com 2019 é a década mais quente do registro. Todas as décadas, desde os anos 1960, bateram o recorde de calor da década anterior.

Veja a Notícia em NASA

Vídeo impressionante mostra dimensão do impacto dos incêndios no planeta em 2019

São apenas 92 segundos de duração, mas o vídeo produzido pelo Programa Copernicus, do Centro Europeu de Previsões Meteorológicas de Médio Prazo, mostra, de maneira assustadora, como os incêndios florestais afetaram a Terra nos últimos doze meses.

Segundo os cientistas do centro europeu de estudos climáticos, é alarmante constatar que algumas áreas do planeta passaram praticamente 2019 inteiro em chamas, caso do centro-sul da África. Enquanto isso, como pode-se ver no vídeo, outras regiões acendem e escurecem, por causa do fogo, diversas vezes ao ano, como na Califórnia, nos Estados Unidos, e alguns estados do Brasil.

“Ao longo do ano, observamos atentamente a intensidade dos incêndios e a fumaça que eles emitiram em todo o mundo. Alguns foram bastante excepcionais. Mesmo em lugares onde esperaríamos ver incêndios em determinados períodos do ano, parte da atividade foi surpreendente”, revelou Mark Parrington, cientista do Programa Copernicus.

O pesquisador explica que incêndios florestais são comuns em todo o planeta, com algumas regiões mais afetadas em determinadas épocas do ano – como ocorre com a Amazônia, todos os anos, no segundo semestre.

Ao monitorarem a atividade dos incêndios florestais, através de medições diárias de “fogo ativo”, os cientistas do Copernicus conseguem estimar as emissões de gases e assim, fornecer informações sobre como a qualidade do ar será afetada, em até cinco dias, em diversas cidades e países.

Poucos sabem, mas incêndios florestais podem provocar um nível de poluição do ar muito maior do que as emissões industriais e produzir uma combinação de partículas, monóxido de carbono e outros poluentes, bastante perigosas para a saúde de toda a vida no planeta.

De acordo com o levantamento realizado pelos europeus, aproximadamente 6.735 megatons de CO2 (dióxido de carbono, gás apontado como o principal responsável pelo aquecimento global) foram lançados na atmosfera por incêndios entre 1o de janeiro e 30 de novembro de 2019.


Leia completo em Conexão Planeta

Professores da Coppe participam da COP 25 em Madri

Os professores da Coppe/UFRJ Suzana Kahn, Andrea Santos e Emílio La Rovere participarão da 25º Conferência da ONU sobre as Mudanças Climáticas (COP 25) que será realizada, de 2 a 13 de dezembro, em Madri. O objetivo é discutir os avanços na implementação do Acordo de Paris, pelo qual os países signatários se comprometeram a reduzir as emissões de gases causadores de efeito estufa (GEE), com objetivo de limitar o aquecimento global a 2ºC acima dos níveis pré-industriais.


Às vésperas da conferência, a Organização Meteorológica Mundial (OMM) anunciou que a concentração de GEE na atmosfera atingiu um recorde histórico, em 2018, ao alcançar o patamar de 407,8 partes por milhão (ppm), ou seja, 147% a mais que o nível pré-industrial de 1750. 


Segundo a vice-diretora da Coppe/UFRJ, Suzana Kahn, que integra o grupo de pesquisadores que participará da Conferência, é necessário investir urgentemente na implementação de medidas, seja para mitigar as mudanças climáticas ou se adaptar a elas. “As análises econômicas mostram que é melhor gastar para reduzir emissões do que para se adaptar ao cenário de aquecimento. Além disso, os países mais vulneráveis terão uma dificuldade maior em se adaptar o que vai ampliar o fosso da desigualdade entre países ricos e pobres. Não há muita saída, vai ser muito caro enfrentar este problema, seja via mitigação, seja via adaptação”, explicou a vice-diretora da Coppe, que também é presidente do Comitê Científico do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas (PBMC).


Na COP 25, Suzana participará de uma reunião da Aliança Global de Universidades sobre o Clima (GAUC, na sigla em inglês), nos dias 8 e 9 de dezembro. Por intermédio da Coppe, a UFRJ integra a este grupo de 12 universidades, criado em janeiro, durante a reunião do Fórum Econômico Mundial, em Davos. Atualmente o GAUC é liderado pela Universidade de Tsinghua (China), parceira da Coppe no Centro China – Brasil de Mudança Climática e Tecnologias Inovadoras para Energia, criado em 2009.


As instituições se reunirão para discutir como a tecnologia pode ajudar a atingir a meta de restringir o aquecimento global a 1,5ºC. A abertura será conduzida por Lord Nicholas Stern, diretor do Comitê Acadêmico da GAUC, presidente da British Academy e professor da London School of Economics and Political Science, e pelo vice-diretor geral do Departamento de Mudanças Climáticas do Ministério da Ecologia e Meio Ambiente da China, Sun Zhen. A professora da Coppe abordará as ações realizadas pela UFRJ no âmbito das mudanças climáticas. A vice-diretora da Coppe também coordenará uma reunião do PBMC, da qual também participará a professora Andréa Santos, do Programa de Engenharia de Transportes da Coppe. Este evento, paralelo às atividades da COP, reunirá especialistas para discutir a elaboração do segundo relatório de avaliação da ciência do clima, adaptação e mitigação no Brasil.


“O importante é ter uma economia de baixo carbono em qualquer que seja a atividade produtiva. Em cada país os setores mais poluentes diferem: na China é o setor energético, no Brasil, onde as fontes renováveis predominam na matriz energética, as emissões mais relevantes são provenientes da agropecuária e do desmatamento”, explica Suzana, ressaltando que, no caso do Brasil, o reflorestamento de áreas degradadas é muito importante para criar sumidouros de carbono e neutralizar parte das emissões. Também no dia 9 de novembro, a vice-diretora da Coppe moderará uma mesa com cientistas do IPCC sobre transição energética no setor de transporte.


A professora Andrea participará da reunião do PBMC, no dia 5/12, voltada à discussão do papel do governo e da sociedade civil na COP 25. No dia 12, a professora tomará parte no debate “O papel da Ciência na tomada de decisão”, promovido pelo Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas e pelo Centro Brasil Clima (CBC).
 

Emílio propõe precificação do carbono para o cumprimento das metas


O professor da Coppe, Emilio La Rovere, participará dia 3 de dezembro do debate “Usando estratégias de longo prazo para aprimorar as NDCs (Contribuições Nacionalmente Determinadas): visões dos governos, bancos, especialistas e sociedade civil”, promovido pelo IDDRI e pelo New Climate Institute, think tanks internacionais em mudanças climáticas. La Rovere falará sobre a precificação do carbono como elemento-chave para o cumprimento das metas estabelecidas pelo Acordo de Paris, e sobre a utilização da receita decorrente de uma possível taxação sobre o carbono para o financiamento de políticas para geração de emprego e redução da desigualdade social.


“O uso da receita de taxação de carbono para reduzir os impostos sobre a folha salarial impulsionaria a criação de empregos e as transferências governamentais para famílias de baixa renda permitiria uma redução gradual das desigualdades, necessária sobretudo em países em desenvolvimento, em compasso com a descarbonização da economia”, recomenda o professor.


Emilio também participará do Moving for Climate Now, uma “bicicletada” organizada pela empresa espanhola Iberdrola e pela UN Global Compact Network Spain, de Salamanca a Madri, entre os dias 26/11 e 1/12, com objetivo de gerar conscientização acerca da necessidade de se agir agora quanto às mudanças climáticas. Os participantes, especialistas internacionais em mudanças climáticas, incluindo executivos, cientistas e dirigentes de órgãos de governo e ONGs, após pedalarem de dia terão debates à tarde e à noite. La Rovere participará do trecho de 29 de novembro, na qual eles deixarão a cidade de Guadalupe, de bicicletas elétricas, até a chegada em Madri no domingo, 1º de dezembro, quando os participantes entregarão um manifesto ao Secretariado da Convenção.


Em 4 de dezembro, Emilio integrará um Painel sobre Mecanismos Financeiros Inovadores para o Enfrentamento das Mudanças Climáticas, em debate com Alfredo Sirkis, do Centro Brasil no Clima, e o professor Jean-Charles Hourcade, diretor do CIRED, da França.


A pesquisadora Carolina Dubeux do Centro Clima e pós-doutoranda do Programa de  Planejamento Energético, ambos da Coppe, também participará da Conferência. 


Sobre Suzana Kahn


Vice-diretora da Coppe/UFRJ, Suzana Kahn é presidente do Comitê Científico do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas (PBMC). Foi vice-presidente do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), de 2008 a 2015; secretária de Mudanças Climáticas do Ministério do Meio Ambiente (2008 a 2010), e subsecretária de Estado do Ambiente do Rio de Janeiro (2010 a 2013). Em 2007 integrou o grupo de cientistas do IPCC agraciado com o Nobel da Paz pela dedicação a estudos sobre mudanças do clima e o aquecimento global.


Coordenadora executiva do Fundo Verde da UFRJ é membro do Conselho de Administração do Museu do Amanhã; do Conselho do Centro Empresarial de Desenvolvimento Sustentável (CEBDS); presidente do Conselho da BVRio, e consultora ad hoc do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.  É responsável pela área de transporte do Grupo de Mitigação do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC).


Sobre Emilio Lèbre La Rovere


Trabalhou no Departamento de Energia da Finep de 1975 a 1988, sendo seu coordenador de 1986 a 1988, quando passou a ser professor adjunto em TI e DE no PPE da Coppe. Coordena o Laboratório Interdisciplinar de Meio Ambiente (Lima), desde 1997, e o Centro de Estudos Integrados sobre Meio Ambiente e Mudanças Climáticas (Centro Clima), desde 2000. Foi o primeiro coordenador do Mestrado e Doutorado em Engenharia Ambiental da Coppe, de 1989 a 1997, é Professor Titular desde 2013 e Pesquisador 1A do CNPQ desde 2007.


La Rovere colabora desde 1992 com o relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), vencedor do prêmio Nobel da Paz de 2007, conquistado pelo IPCC em conjunto com o ex-vice-presidente americano Al Gore. Participou em 2017 da Comissão de Alto Nível sobre Preço do Carbono, coordenada pelo prêmio Nobel de Economia Joseph Stiglitz e por Lord Nicholas Stern, iniciativa da Carbon Pricing Leadership Partnership lançada pelo Governo da França com o Banco Mundial.

Sobre Andrea Santos


A professora Andréa Souza Santos foi coordenadora de Mudança do Clima e Sustentabilidade na Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente (SMCQ-MMA). Também foi consultora na Secretaria Executiva do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas (PBMC), tendo sido contratada pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) para o desenvolvimento de atividades gerenciais e de consultoria técnica do projeto.


Atualmente, é secretária-executiva do PBMC. A professora do Programa de Engenharia de Transportes (PET) da Coppe/UFRJ também é Contributing Author do IPCC WGIII AR6 do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC).

Segunda Semana da COP 25

Resumo sobre o Webinar “IISD Webinar Updates on Progress During First Week of COP 25 Negotiations”. https://sdg.iisd.org/…/iisd-webinar-updates-on-progress-du…/

O webinar destacou questões pendentes relacionadas ao Artigo 6, incluindo transferência, compartilhamento de receitas e contabilidade.

Os negociadores estão discutindo uma possível rede de especialistas “Santiago network of experts” ou “rede de especialistas de Santiago" para ajudar na implementação do Mecanismo Internacional de Varsóvia para Perdas e Danos.

Foram observados destaques sobre as relações claras entre os ODS 13 (ação climática), 7 (energia limpa e acessível) e 14 (vida submarina) na COP 25. Como subsídio técnico do IPCC o enfoque agora é o Special Report on the Ocean and Cryosphere in a Changing Climate (SROCC), além do SR on Climate Change and Land e SR1.5.

Está em andamento um trabalho para um acordo na COP 25 sobre o Artigo 6 (abordagens cooperativas), que visa ajudar os países que estão lutando para atingir suas metas de redução de emissões por meio de mecanismos de mercado e de não mercado.

Nesse sentido, o que pode ser concluído em Madri e o que pode ser finalizado nos próximos dois anos:

* carry over (transferência de créditos): se os países devem ter permissão para transferir créditos gerados antes de 2020 para implementação após 2020 e para uso nas Contribuições Determinadas Nacionalmente (NDCs) dos países;

* share of proceeds (parcela da receita): se é para replicar o processo atual sob o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) do Protocolo de Kyoto, pelo qual uma parcela da receita vai para o Fundo de Adaptação; e

* accounting and common metrics (métricas contábeis e comuns): se é possível calcular reduções de emissões de atividades usando uma variedade de métricas.

Além do artigo 6, ocorre também a falta de acordo sobre prazos comuns para as NDCs, com propostas variando de cinco a dez anos, com mais de dez opções atualmente em discussão.

Um segmento de alto nível (High Level Segment) se reúne está semana para ajudar a orientar discussões técnicas sobre questões não resolvidas relacionadas ao Artigo 6 e perdas e danos, entre outros.

A presidência chilena está organizando mesas-redondas ministeriais a fim de introduzir uma abordagem mais holística para entender os papéis de vários ministros na ação climática e que essa abordagem inovadora poderá ser um legado da COP 25.

 

More Articles...

  1. Side Event at COP25: “Addressing Adaptation knowledge gaps in the Latin American Region”
  2. Side event COP25 “Global Alliance of Universities on Climate” at China Pavilion.
  3. Convite - Brazil Climate Hub - December 12th
  4. Convite para o Side Event - COP25
  5. Atmospheric Carbon Dioxide Hits Highest Level in at least 3 Million Years
  6. Brasil tem emissões estáveis em 2018
  7. Climate crisis: 11,000 scientists warn of ‘untold suffering’
  8. Relatório triplica o número de afetados pelo risco de inundação devido à mudança climática
  9. Processos seletivos abertos no âmbito do projeto da Quarta Comunicação Nacional do Brasil à UNFCCC
  10. Veja como as cidades se preparam para enfrentar as mudanças climáticas
  11. Balanços da “Bonn Climate Change Conference”
  12. “Desajuste climático acontece agora e para todos”, diz secretário da ONU
  13. France endures its hottest day ever as Europe swelters in heat wave
  14. Deadly India Heat Wave Temperature Reaches 123 Degrees in Second-Driest Pre-Monsoon Spell in 65 Years
  15. Aquecimento global pode ser catastrófico para o Brasil, alertam cientistas
  16. O PAPEL DA CIÊNCIA NAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS E NA IMPLEMENTAÇÃO DOS ODS
  17. Frio intenso, calor extremo, chuvas fortes e ventanias. Em 10 anos, Rio Preto teve uma série de eventos
  18. Aberto período para submissões para candidaturas de especialistas para participar da reunião de definição do escopo do sexto relatório de síntese da avaliação do painel intergovernamental de mudança do clima (IPCC)
  19. Aberto período para inscrição para participação da primeira minuta da contribuição do Grupo de Trabalho I para o Sexto Relatório de Avaliação (AR6), do IPCC
  20. Como nosso cérebro atrapalha o combate às mudanças climáticas
  21. 12 excuses for climate inaction and how to refute them
  22. Uma concentração de CO2 nunca vista pela espécie humana.
  23. Bairro em Londres vai criar 11km de corredor de flores para abelhas
  24. It's Official: Atmospheric CO2 Just Exceeded 415 ppm For The First Time in Human History
  25. Carbon dioxide levels hit landmark at 415 ppm, highest in human history
  26. Mudanças climáticas no Rio e no mundo: a urgência de novos padrões
  27. Derretimento da Antártica já está seis vezes mais rápido do que há 40 anos
  28. O colapso da Terra está cada vez mais próximo
  29. ONU alerta contra impactos ambientais da dessalinização para fornecimento de água doce
  30. 1 milhão de espécies ameaçadas: o que diz preocupante relatório da ONU sobre impacto humano
  31. São Paulo está quente demais para maio
  32. Como a mudança climática está deixando os países ricos mais ricos, e os pobres mais pobres
  33. Permafrost collapse is accelerating carbon release
  34. Nasa instrument heads to space station to map CO2
  35. Agência norte-americana avisa comunidades para que se prepararem para a mudança do clima
  36. Parlamento britânico é o primeiro do mundo a declarar “emergência ambiental e climática”
  37. Entrevista do Mês: Eduardo Assad
  38. Cientistas discutem devastador custo da ação humana no planeta
  39. Novo ciclone atinge Moçambique seis semanas após o primeiro; ONU pede mais apoio
  40. NASA revela novas (e preocupantes) evidências do aquecimento global
  41. As chuvas extremas do Rio são a nova normalidade do clima?
  42. Temporais fazem parte de uma nova realidade, diz climatologista
  43. Motivo de caos no Rio, chuva anormal para outono é 'retrato de clima mais hostil'
  44. Humanidade consome recursos da Terra a taxas insustentáveis, alerta agência da ONU
  45. A diferença entre os impactos de um aquecimento de 1,5˚C ou 2˚C no planeta
  46. Emissões de carbono quebram o recorde em um retrocesso global devastador
  47. Demanda por energia dispara em 2018 e emissões batem recorde
  48. Situação do clima em 2018 mostrou aumento dos efeitos da mudança climática, diz relatório
  49. Reflexos do aquecimento global para a economia brasileira
  50. Falta de acesso à água afeta bilhões e provoca aumento de conflitos no mundo, diz relatório da ONU
  51. Terceiro Relatório de Atualização Bienal do Brasil
  52. Convite: Lançamento do Livro – Brasil: um futuro sustentável
  53. Artigo: A felicidade traz prosperidade
  54. Rio de Janeiro registra as temperaturas médias mais altas em 97 anos
  55. Biodiversidade é uma potência ainda subaproveitada no país.
  56. ‘Estresse térmico’ deixa pessoas mais nervosas nos dias quentes
  57. Groenlândia está derretendo mais rápido do que esperávamos e não há muito mais o que fazer
  58. Verão pode causar 'estresse térmico' no corpo
  59. Gelo da Antártica está derretendo seis vezes mais rápido do que há 40 anos, diz estudo
  60. 'A proteção do meio ambiente não pertence a nenhuma corrente política ou ideológica'
  61. Aquecimento dos oceanos ocorre em ritmo mais rápido que o esperado
  62. Verão tem temperaturas mais altas que as do ano passado; tendência é esquentar
  63. Agro holandês é POP
  64. Animais silvestres em perigo: projeto de lei libera caça no Brasil, também em unidades de conservação. E muito mais!
  65. Chuvas torrenciais e muito calor: o que determina o clima das grandes cidades?
  66. Verão de 2019 vai ser escaldante e já sabemos qual mês será o pior
  67. Ministério do Meio Ambiente oferece 8 cursos na área socioambiental
  68. Agenda do Evento de Lançamento do Relatório "Potência Ambiental da Biodiversidade: um caminho inovador para o Brasil"
  69. COP 24 aprova 'livro de regras' do Acordo de Paris
  70. Relatório encomendado pela própria UNFCCC sobre o aquecimento
  71. Secretário-geral da ONU alerta que planeta não pode se permitir fracassar na COP 24
  72. Brasil perderá se sair do acordo climático, diz ex-negociador dos EUA
  73. 1. SBPC se manifesta contra a saída do Brasil do Acordo de Paris
  74. A COP24 em Katowice terminou neste domingo, por volta das 00:30h.
  75. Artigo: Capitalismo climático Para a obtenção do lucro, é fundamental que se limite o aumento de temperatura da Terra
  76. Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas e a Fundação Grupo Boticário lançam Sumário para Tomadores de Decisão sobre biodiversidade e clima na COP24
  77. Relatório Especial “Potência Ambiental da Biodiversidade: um caminho inovador para o Brasil”
  78. 1º Fórum Brasileiro de Transição Energética
  79. Evento de Lançamento do Sumário para Tomadores de Decisão (STD) do PBMC e BPBES – Espaço Brasil na COP-24
  80. COP24 "Eles chegaram a Katowice de bicicleta"
  81. Como anda a COP14 da Biodiversidade?
  82. Moving for Climate NOW
  83. 2018 UN Biodiversity Conference
  84. Primeira chuva no Atacama em 500 anos destrói vários micróbios
  85. Temperatura do planeta poderá aumentar 3,2 graus Celsius, muito além da meta de 1,5
  86. Biodiversidade é 'galinha de ovos de ouro' desperdiçada no Brasil, mostra relatório
  87. Impacto das mudanças climáticas intensificam incêndios na Califórnia
  88. Biodiversidade não é problema, é solução
  89. BRASIL pode ser líder em desenvolvimento sustentável, dizem cientistas
  90. Aquecimento climático em São Paulo já é o dobro da meta global
  91. Não é só pelo 1,5ºC
  92. Chamada pública "Boas práticas de sustentabilidade A3P"
  93. Ministro divulga nota sobre fusão com o MAPA
  94. Fome: aquecimento aumenta o risco de uma nova grande crise global
  95. Populações de animais caíram 60% em 44 anos, alerta WWF
  96. Anúncio da fusão dos ministérios da Agricultura e Meio Ambiente preocupa a Coalizão Brasil
  97. Remote Hawaiian Island Wiped Off The Map
  98. Dados do Inpe sugerem aceleração da área desmatada na Amazônia
  99. O que precisa ser feito em cada setor para limitar o aquecimento global em 1,5oC?
  100. 1,5°C a mais até o fim do século - otimismo possível?

Unicast