Superfícies refletoras e árvores podem reduzir a temperatura das cidades

como-combater-ilhas-de-calor-nas-cidades-reproducaoA mudança climática global, com seus eventos extremos, é um processo de tão grandes implicações que tira a atenção de um fenômeno menor: as chamadas “ilhas urbanas de calor”. No entanto, ele faz com que as cidades sejam em média mais quentes do que o seu entorno, não apenas contribui para o aquecimento do planeta como torna seus efeitos ainda mais sensíveis para os moradores das cidades, que constituem hoje mais da metade da população mundial. No Brasil, quase 85,7% da população já vivia em cidades em 2015, de acordo com indicadores do Banco Mundial.

Com o título “Energy saving by mitigating urban heat islands in cities”, um estudo sobre as ilhas urbanas de calor e sua mitigação foi apresentado pela pesquisadora Sahar Sodoudi, do Departamento de Ciências da Terra da Freie Universität, de Berlim, Alemanha, durante o 5º Diálogo Brasil-Alemanha de Ciência, Pesquisa e Inovação, realizado em 29 e 30 de novembro, na Câmara Municipal de São Paulo. Promovido pelo Centro Alemão de Ciência e Inovação – São Paulo (Deutsche Wissenschafts- und Innovationshaus – São Paulo – DWIH-SP), o encontro teve o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Leia a matéria na integra aqui.

Unicast